Galeria

O papel e os rumos do novo governo

Por: Amilcar José Carvalho

O ano de 2019 será um marco de mudanças definitivas no Brasil no âmbito do governo federal, explico: O setor privado, após uma década de enfraquecimento, voltará a se fortalecer e terá destaque nas soluções econômicas. Então vem a pergunta: Qual deverá ser o papel do governo federal?

Entendemos que o papel principal será o de fomentar o estímulo inicial e a direção para as atividades econômicas, através de investimentos e das licitações.Tudo isso no esforço de gerar emprego.

Serão atacados ainda os problemas do déficit público e da violência. Espera-se também que o governo federal dê o impulso inicial nas transformações (profundas) relativas à educação, inclusive nas pesquisas, ciências e tecnologias.

A pergunta que se segue é: o governo do Espírito Santo, com o comando de Renato Casagrande acompanhará o governo Bolsonaro ou ficará para trás?

Para começo de conversa, a boa gestão começa com um conjunto de trabalhadores competentes (eficientes, eficazes e efetivos). Essas três características tem sido sempre presentes nos serviços desempenhados pelos servidores do Tesouro Estadual, em especial pelos Consultores do Tesouro Estadual.

Os Consultores do Tesouro Estadual vem agregando conquistas indubitáveis ao nosso Estado: economia notável de recursos financeiros, pagamentos sem atraso aos seus funcionários e fornecedores, baixo endividamento, excelente desempenho fiscal reconhecido pela Secretaria do Tesouro Nacional, completa transparência de suas informações,  maior velocidade nos cumprimentos constitucionais devido a mudanças fundamentais no processamento das operações financeiras e contábeis, dentre outras conquistas.

Será fundamental a postura do governo Casagrande no sentido de reconhecer os esforços dessa classe tão decisiva no sucesso do governo Capixaba. Reconhecer os esforços aqui significa investir nos Consultores do Tesouro Estadual (ao menos com nivelamento salarial com seus pares).

Falando em investimento, tanto o governo federal quanto o governo estadual terão que investir pesado em educação, inclusive em pesquisa, ciência e tecnologia, seja diretamente pelo governo ou com parcerias com o setor privado.

De um jeito ou de outro, os professores tem que ser melhor remunerados e as escolas mais estruturadas e atrativas. Os institutos de pesquisa tem que ser valorizados, o que passa obrigatoriamente em valorizar os pesquisadores.

Quero chamar a atenção aqui também, para o grau de abandono das instituições de pesquisas do estado capixaba, como o INCAPER e o IJSN por exemplo. São instituições que entregam serviços de muita utilidade para o estado, mas são muito mal valorizados/remunerados.

O governo Casagrande, em seu primeiro mandato, realizou diversas obras pelo estado. Está na hora do governo Casagrande realizar essa obra, a mais importante para o estado capixaba: A VALORIZAÇÃO SIGNIFICATIVA DO SEU MAIOR ATIVO (OS SEUS SERVIDORES).